Chants de makulélé

au sem mão

Maculélé au sem mão

Séquence classique de chant makulélé utilisé dans les démos de Makulélé.

Entrada

Negros da catanga de aruanda

Nos somos negros da cachanga de aruanda, 
na concessão que levam louvar
Aruanda é é éê
Aruanda é é éa
Hoje é dia da nossa senhora a trouvoa da roncada no mar
Aruanda é é éê
Aruanda é é éa

Sou eu 

Sou eu sou eu Makulele sou eu

Vinha hora é 

Vinha hora é vinha hora
Vinha hora é sou de Angola

Improvisacão

Boa noite pra quem é de boa noite 
Bom dia pra quem é de bom dia 
A benção meu papai a benção 
Maculelê é o rei da valentia
Tindolelê auê Cauiza
Tindolelê é sangue real
Eu sou filho eu sou nego de Aruanda
Tindolelê auê Cauiza
E Cauiza, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
Maculelê, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
E o atabaque, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
Sarará, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
E o agogô, de onde e que veio
Pega pau pega facão o pula aí que eu quero 
ver eu sou filho de Zumbi popo do Makulele
Olalaé o laélalaéla

Entrada do guerreiro

No certo dia na cabano um gueireiro
Foi atacada na triba pra valeu
Pegou dois pau e sai de um salto mortal 
e grito pela menina que eu sou Makulele

Pula aí que quero ver
Eu sou Makulele

Makulele não Me mate não 
ele é meu Compadre não Me mate não
Vinha hora é vinha hora
Vinha hora é sou de Angola

Final – Saida com percussão

Ladainha Kachanga – Ser Mestre

Capoeira Itaparica - Groupe Ginga Nagô Tours

La laidainha symbole des rencontres du festival de capoeira de Ginga Nagô 2012.

Félicitations à Monitor Kachanga pour avoir écrit cette belle chanson de capoiera qui a donné le plein d’énergie à tout le monde pendant les rodas du festival à Tours et à Nantes.

Télécharger le mp3 ladainha kachanga itaparica – Ser Mestre

Ecoutez en ligne :

Ser Mestre é difficil mais não é impossivel
Ser Mestre é feito com sacrificio
Ser Mestre é feito com dedicação
Ser Mestre é feito com coração

La laué, laué, laua
La laué, laué, laua

Mais um dia eu cai
Mestre branco me dei sua mão
Para me ajudar a me levantar para jogar capoeira
La laué lalaéla

La laué, laué, laua
La laué, laué, laua

Viola meu bem

Sambista Dona Edith Do Prato

Voici la chanson de Mestre Branco pendant le cours du stage de capoeira à Tours le 04 mars 2012.

Homenagem a Edith do Prato – Viola Meu Bem

Sou empregado da Leste
Sou maquinista do trem
Vou me embora pro Sertão
Que eu aqui não me dou bem
Oh viola meu bem, viola
Oh viola meu bem, viola

Quelques éléments de vocabulaire pour la compréhension de cette chanson :

empregado da leste : employé de l’Est

maquinista do trem : cheminot

Sertão : région aride du Brésil

Não me dou bem : je ne m’adapte pas

Cette chanson du domaine populaire a été reprise par Edith Oliveira Nogueira (Santo Amaro da Purificação, 1916Salvador, 2009) alias, Dona Edith do prato (Dame Edith de l’assiette), qui utilisait une assiette et un couteau en guise d’instrument de musique.

Sinhazinha

Sinazinha Foi Quem Me Falou

mp3: Sinhazinha

 

Sinhazinha foi quem me falou, que aqui estava cheio de axé

Eu botei a viola no saco
Cai na folhagem pra ver como é
Cheguei la encontrei uma dança que bate com a mão, com a cabeça e com o pé
Foi ai que eu entrei no swingue, cantando tambem pererê, pererê, pererê, pererê*,
Coro
pererê, pererê,
no batuque do Zé,

Coro
pererê, pererê
Vou dizer como é

 

*Saci pererê: personnage folklorique de la culture nordestine brésilienne, dans la mythologie africaine, il est représenté par un petit garçon noir qui a perdu une jambe en faisant de la capoeira.