Chants de makulélé

au sem mão

Maculélé au sem mão

Séquence classique de chant makulélé utilisé dans les démos de Makulélé.

Entrada

Negros da catanga de aruanda

Nos somos negros da cachanga de aruanda, 
na concessão que levam louvar
Aruanda é é éê
Aruanda é é éa
Hoje é dia da nossa senhora a trouvoa da roncada no mar
Aruanda é é éê
Aruanda é é éa

Sou eu 

Sou eu sou eu Makulele sou eu

Vinha hora é 

Vinha hora é vinha hora
Vinha hora é sou de Angola

Improvisacão

Boa noite pra quem é de boa noite 
Bom dia pra quem é de bom dia 
A benção meu papai a benção 
Maculelê é o rei da valentia
Tindolelê auê Cauiza
Tindolelê é sangue real
Eu sou filho eu sou nego de Aruanda
Tindolelê auê Cauiza
E Cauiza, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
Maculelê, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
E o atabaque, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
Sarará, de onde e que veio

Eu vim de Angola ê
E o agogô, de onde e que veio
Pega pau pega facão o pula aí que eu quero 
ver eu sou filho de Zumbi popo do Makulele
Olalaé o laélalaéla

Entrada do guerreiro

No certo dia na cabano um gueireiro
Foi atacada na triba pra valeu
Pegou dois pau e sai de um salto mortal 
e grito pela menina que eu sou Makulele

Pula aí que quero ver
Eu sou Makulele

Makulele não Me mate não 
ele é meu Compadre não Me mate não
Vinha hora é vinha hora
Vinha hora é sou de Angola

Final – Saida com percussão